quinta-feira, outubro 06, 2005

Uma banheira com meninos no CAM

Aconteceu no 1º Domingo de Outubro no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian. Vai repetir-se em cada 1º Domingo, durante vários meses. Não, não é ( para já ) a repetição da banheira com rodas que para o espanto de todos circulou nesse dia pelo museu, mas sim uma nova edição das Histórias em Andamento.

Explico melhor: esta é uma das muitas actividades acontecem no CAM. Esta instituição teve a sorte e o saber de ter Susana Gomes da Silva como coordenadora do seu Serviço Educativo. Basta consultar o programa para este ano - em papel ou online - para perceber a diversidade e a qualidade das propostas que ali se apresentam. Susana chama a si um rede de monitores, que, provindos de diferentes áreas, e sob a sua orientação, fazem os mais variados cruzamentos com as obras de arte do museu. E vários são também os sectores de publico abrangidos.
No caso das Histórias em Andamento, foi o inaugurar explicito de dois pontos: as relações da literatura com a arte e o trabalho com sectores de público infantil muito pequenino ( 2 - 4 anos ). Inaugurou-se também uma parceria com a livraria residente no CAM, a Almedina.
A Margarida Botelho e eu temos o privilégio de ser companheiras nestas viagens. Agradecemos muito à Marina que nos emprestou esta linda banheira de madeira - uma peça de arte, a sério! - e ao Filipe Reis pela cobertura fotográfica.
Neste 1º Domingo de Outubro, inspirámo-nos no livro Um Dragão na Banheira, escrito por Tiago Salgueiro e ilustrado por José Saraiva. Foi uma homenagem à nova imagem deste Serviço Educativo
e ao dragão de Amadeo de Souza-Cardoso no quadro Procissão de Corpus Christi.

Foi assim: um dragão na banheira Uma onda entrou pela porta do museu e trouxe-nos um dragão marinho. Terá que viver agora numa banheira. Será amigo de um outro dragão pintado, de uma colecção. De binóculos vamos todos espreitar esta grande confusão!

Próxima História em Andamento: Domingo, 6 Novembro.

Para daqui a um mês, já escolhemos uma outra história.

Chama-se A Árvore Maravilhosa - L’Arbre Merveilleux de Anne Herbauts .

Um dia um jardineiro esquecido deixou cair uma semente; no chão do museu cresceu uma árvore maravilhosa. Dos seus ramos pendiam 5 objectos mágicos. Cada um conta uma história secreta que é preciso guardar na caixa de uma menina-pintora.

  • Idades 2 aos 4 anos + 1 adulto – 11h00 às 12h00
  • Idades 5 aos 7 anos – 15h30 às 17h00

Requer marcação prévia para o número 217823477

7 Comments:

Blogger kikazinha said...

Só ideias brilhantes!E eu quero ter uma banheira assim ams sem o Dragão senão não cabemos lá os dois eh eh eh

12:59 da manhã  
Blogger jsaraiva said...

Muito obrigada pela escolha. Depois de as ilustrações que fiz para este livro terem sido seleccionadas para a Bienal da Ilustrarte, é muito bom vê-lo em actividades como essas. São estas coisas que que nos fazem esquecer o tempo, esforço e prejuizo dedicados a estes livros. E nos dão algum animo (bem preciso...)
Este livro foi dedicado à minha filhota, que aparece nas guardas do fim.
José Saraiva

1:41 da manhã  
Blogger dora said...

Sim, a Ana acompanhou-nos nesta jornada no museu e foi a heroína de todos os meninos.

Obrigada pelo comentário :)

2:59 da manhã  
Blogger ana ventura said...

ahhh...adoro esse livro! Os crescidos não podem ir???
:)

9:13 da manhã  
Blogger manamagana said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

10:35 da manhã  
Blogger manamagana said...

Queridas Dora e Margarida, obrigado pelas vossas ideias irrequetas que me deixam a alma em sobressalto criativo. Que seria do CAM sem o vosso fôlego e dedicação.

Um grande beijinho,
susana

10:37 da manhã  
Blogger Mariana Rio said...

Quero ter 4 anos outra vez!!

5:48 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home